Image Hosted by ImageShack.us
Friday, October 3, 2008



Image Hosted by ImageShack.us


Em 1951, Sir Hugh Beaver, o director administrativo da cervejaria Guinness na altura, foi à caça e acabou por se envolver numa discussão. Qual seria a ave mais rápida da Europa – o borrelho ou o tetraz? Foi assim que se apercebeu que um livro que fornecesse respostas para este género de pergunta talvez fizesse sucesso. Ele tinha razão!

---------------------------------------------------------------------------


Aqui está o mais novo espaço temático do Jenesais-Quoi. Todas as sextas-feiras vamos falar de temas bizarros, extremos, engraçados, etc. Espero que gostem do espaço temático, baseado no Livro de Recordes...


E para começar, e como não podia deixar de ser... E porque eles até merecem... lol

O Glorioso é o maior do mundo!



Eu já sabia, mas agora está provado. O Benfica é mesmo o maior Clube do mundo. E até já o Guinness o confirma. De facto, a instituição reguladora dos recordes mundiais confirmou que o Glorioso ultrapassou o Manchester United – anterior detentor do maior número de sócios, com 152 mil – possuindo neste momento 160 398 sócios activos, algo que é certificado como sendo um recorde mundial.


By Carla at 10:19 AM

|

Tuesday, September 30, 2008






Oiiieeeeee.....

Passei por aqui hoje só para tirar o pó neste cantinho... eheheheh

A falta de inspiração dá nestas coisas....

Aceitam-se sugestões... eheh

Beijooooo


By Carla at 2:10 PM

|

Friday, September 19, 2008





Não quero que me chames apenas de amiga, quero que me chames amor. Não quero que me digas adoro-te, em vez de amo-te. Não quero que digas que sentes a minha falta, quero apenas que me digas que não consegues viver sem mim. Não quero que digas eu ou tu, mas sim nós. Não quero que me abraces, não hoje. Hoje, quero que me beijes!


By Carla at 3:10 PM

|

Tuesday, September 16, 2008



Image Hosted by ImageShack.us


Hoje então ao final estes posts temáticos de Terça e Quinta sobre as famosas telenovelas. Neste momento estão no ar, como de costume 3 novelas, sendo elas, Crianda de Pedra, Três Irmãs e A Favorita. Não foi por coincidência que todas as novelas que falámos foram realizadas pela Globo, é simplesmente porque a Rede Globo, é na minha opinião e na de muitos, a melhor fábrica de sonhos do mundo. Continuarei a apreciar as novelas que me fazem "companhia" todas as noites. Espero no entanto que tenham gostado destes posts temáticos, não falei em todas as novelas, porque se falasse tinha posts para mais um ano, ahahh. Peço desculpa se não falei de alguma que fosse do vosso agrado, mas se quiserem comentar e deixar o pedido, farei um post dedicado a isso. Então é isso, agora e sem perder tempo, vou começar a pensar em novas "iniciativas" para este espaço.

Image Hosted by ImageShack.us


By Carla at 8:32 AM

|

Tuesday, September 9, 2008



Image Hosted by ImageShack.us



A melhor actriz da novela na minha opinião. A burra da Rakelli... Funny...

Beleza Pura é a actual telenovela brasileira da Rede Globo do horário das 19h substituindo Sete Pecados de Walcyr Carrasco. Estreou em 18 de fevereiro de 2008 e irá até 13 de setembro de 2008 em 179 capítulos, sendo substituída por Três Irmãs.

Guilherme Medeiros é um engenheiro aeronáutico "badalado" e mulherengo, que vive para curtir a vida e as mulheres com o dinheiro ganho pelos projectos de helicópteros que faz. O seu novo lançamento é o Carcará. Um dos compradores da máquina é o excêntrico empresário Olavo Pederneiras, que a bordo dele, vai com uma equipe gravar um programa de estética na Amazónia. Só que numa armação para destruir Guilherme, Norma Gusmão, amiga e companheira de trabalho, apaixonada e desprezada por ele, sabota o helicóptero que cai matando Olavo, a esteticista e vizinha de Guilherme, Sônia Amarante; a jornalista Márcia; o escritor Alex; e o químico Mateus.
Joana é uma dermatologista que foi abandonada bébé pela mãe num orfanato, e agora, com o dinheiro ganho como funcionária da clínica do cirurgião plástico Renato Reis, consegue achá-la graças a um detective. Mas Sônia acaba de falecer.
Os destinos de Guilherme e Joana se cruzam quando ela bate à porta da casa da mãe e encontra o engenheiro tomando conta de seus irmãos mais novos. Arruinado e se sentindo culpado pelas mortes, Guilherme resolve adoptar Klaus e Dominique, e tocar para frente o projecto da clínica de estética Beleza Pura, que Sônia estava prestes a inaugurar. Como um bom engenheiro, ele mete-se em mil confusões já que não entende nada de cosméticos e produtos de beleza. Ele e Joana se apaixonam e passam a viver uma bonita relação até que Norma, mais uma vez, atrapalha sua vida. E agora tem o apoio de Renato, apaixonado por Joana. Separados, Guilherme e Joana acabam virando rivais quando ela inaugura com a cabeleireira Ivete, uma clínica justamente em frente a de Guilherme. Entre confusões profissionais e amorosas, a paixão entre o casal só aumenta.
Paralelos a isso vão surgindo coincidentemente na vida de Guilherme os parentes dos tripulantes: Eduardo, viúvo de Márcia, que acaba se apaixonando por Débora, a viúva de Alex. Helena, a viúva de Mateus, que decide se vestir como o falecido para aceitar um bom emprego a fim de pagar o tratamento do filho doente, Hugo. E Robson, um pedreiro, primo distante e único de Olavo, que herda toda a fortuna, mas é passado para trás pelo inescrupuloso advogado José Henrique.
Só que uma reviravolta acontece quando no dia do casamento de Guilherme e Joana, Sônia reaparece. Ela e os outros quatro tripulantes do Carcará sobreviveram a queda e estavam perdidos em uma ilha. Agora voltam para tumultuar as suas famílias.


Curiosidades:

• Novela de estréia de Andréa Maltarolli, que foi uma das criadoras de Malhação. A autora teve a assessoria de Silvio de Abreu nos primeiros capítulos.

• Inicialmente foram coagitadas Cláudia Abreu e Carolina Dieckmann como protagonistas, mas ambas não puderam aceitar porque estavam em licença-maternidade; Giovanna Antonelli também foi uma opção da autora, mais já estava no ar em Sete Pecados. E o curioso é que este trio fará as protagonistas da próxima novela do mesmo horário Três Irmãs[8]

• Destaque para a jovem actriz Ísis Valverde, que interpreta Rakelli, uma personagem cómica, burrinha e atrapalhada, que contribuiu para alavancar a baixa audiência da novela.

• Os atores Reginaldo Faria e Marcelo Faria, pai e filho na vida real, estão na novela como os também parentes (primos, no caso) Dr. Olavo e Róbson respectivamente.

• Apesar de Regiane Alves ser a protagonista da trama, ela é creditada na abertura após Carolina Ferraz, que é a antagonista da história.


By Carla at 11:54 AM

|

Friday, September 5, 2008








A cena escaldante de amor entre Maria Paula e Ferraço... Ver com atenção.. ahahhah

Duas Caras foi uma telenovela das 21h da Rede Globo, escrita por Aguinaldo Silva. A trama estreou dia 1 de outubro de 2007, no horário das 21h, na Rede Globo, substituindo Paraíso Tropical, de Gilberto Braga e Ricardo Linhares. Seu último capítulo foi ao ar em 31 de maio de 2008, totalizando 209 capítulos.


Adalberto Rangel nasceu chamado Juvenaldo numa região pobre de Pernambuco. A necessidade de sustentar a família extensa levou o seu pai a vendê-lo ainda criança para o forasteiro Hermógenes, para ajudá-lo nos seus golpes. O garoto rapidamente aprendeu toda sorte de trapaças. Foi baptizado de Adalberto e passou a rodar com Hermógenes pelas estradas brasileiras com uma suposta máquina de fazer dinheiro, vários bilhetes de identidade e uma bela lábia.
Muitos anos se passaram quando Adalberto, já homem feito, presenciou um terrível acidente numa estrada do sul do país. Ao ver um casal morto, encontrou pacotes de dólares numa pasta, documentos e uma foto de uma moça, Maria Paula, supostamente a filha do casal, herdeira de uma grande fortuna. Neste momento, Adalberto percebeu que podia dar o seu maior golpe.
Na pequena cidade de Passaredo, Maria Paula recebeu a notícia da morte dos pais por Adalberto. A dor arrebatadora e a tristeza só encontrou consolo naquele forasteiro sedutor. Ingênua e perdida, Maria Paula aceitou o carinho deste homem, ainda que todos desconfiassem do rapaz. Em pouco tempo, ela se entregou àquele forasteiro. Casamento, sonhos, comunhão de bens, procurações. Achando que construiria uma nova família, Maria Paula teve mais uma surpresa: Adalberto roubou-lhe todos os seus bens. Da história, ficou apenas a vontade de reencontrar aquele homem para vingar-se. E um filho, que Adalberto nem sabia que tinha. Maria Paula viu-se então obrigada a tomar as rédeas da sua vida. E é em São Paulo que ela começou uma nova etapa, tornando-se uma mulher forte e batalhadora.
Adalberto, agora milionário, partiu para o Rio de Janeiro onde comprou uma construtora falida e acabou se tornando um respeitável empresário da construção civil. Para isso, deixou para trás o seu passado e mudou novamente de nome e, desta vez, também de rosto – ele não podia correr o risco de que alguém o reconhecesse. Submeteu-se a diversas cirurgias plásticas e, com a face completamente modificada, assumiu sua nova identidade: Marconi Ferraço.
Mas os vários nordestinos que vieram trabalhar na construtora e que ficaram desabrigados com sua falência, se negaram a deixar o local e encontraram apoio na figura de Juvenal Antena, chefe da segurança, que se juntou aos operários na luta pelos seus direitos. E foi num terreno baldio próximo à antiga obra que ergueu-se a Favela da Portelinha, um local onde Juvenal Antena não deixaria faltar nada para para seus moradores. Só não eram permitidas drogas e violência. Quanto a isto, o carismático líder era irredutível.
Ferraço montou a sua equipe de trabalho e associou-se ao engenheiro Gabriel Duarte e ao advogado Paulo de Queiroz Barreto, um especialista em encontrar brechas para driblar a lei. Já Juvenal ganhava cada vez mais prestígio na Portelinha e sabia que podia contar com a sua gente. Admirado, Juvenal vai se transformando aos poucos num líder acima do bem e do mal. Muitos eram gratos a ele, como a misteriosa Guigui, que chegou à Portelinha só com a roupa do corpo e recebeu abrigo; Dália, salva das drogas e promissora carnavalesca da escola de samba da comunidade; e Bernardinho, chef de cozinha graças ao curso de culinária pago por Juvenal.
Não muito longe da Portelinha, num dos luxuosos condomínios da Barra da Tijuca, mora Branca, a dona da Universidade Pessoa de Moraes, e o seu marido João Pedro. Os dois têm uma rotina feliz e formam um casal visivelmente apaixonado. Branca recebe carinho e atenção e, exatamente por isto, nunca pensou que pudesse ser traída. E é da pior forma que descobre estar enganada: pelos jornais.
Durante vinte anos, João Pedro encontrou-se com Célia Mara, com quem vivia outra grande história de amor. No passado, quando ainda eram adolescentes, ela se entregou para João Pedro e chegou até a se tornar sua noiva, mas o rapaz rompeu o relacionamento para se casar com Branca e colocar o antigo sonho de montar uma universidade em prática. Apaixonado pelas duas mulheres, ele deu um jeito de reatar com Célia Mara - mesmo ela tendo se casado com outro homem - e manteve os dois relacionamentos por vinte anos.
Num determinado dia, para agradar Célia Mara, João Pedro concordou em levá-la a um circo e ali, entre crianças e palhaços, uma bala perdida o atingiu. Célia, apavorada em meio à multidão, seguiu em uma ambulância com o amado para o hospital. Mas não havia mais nada a fazer: João Pedro estava morto. Na manhã seguinte, todos foram surpreendidos pelos jornais. Na capa, uma foto de João Pedro e Célia como se fosse ela a ilustre viúva do reitor. É assim, pela imprensa, que a família de Célia e a de Branca descobriram esta relação às escondidas e a reação de ambas foi devastadora. Branca viu a sua vida desmoronar. A brutal morte do marido e a traição durante tantos anos provocaram uma raiva avassaladora.
Apesar do escândalo, Branca e Célia Mara reconstroem suas vidas. A empresária resolve assumir a Universidade Pessoa de Moraes - da qual João Pedro sempre esteve à frente - e transformá-la em uma instituição de excelência. Para tanto, procura a ajuda de Fernando Macieira, um intelectual que conheceu em Paris, numa reunião da Unesco, e que volta ao Brasil repleto de idéias.
Já Célia Mara decide ajudar a filha que sofre de dislexia, estudando com ela para os exames, e acaba se animando e a fazer também o concurso. O que nem ela imaginava é que sua inteligência a destacaria dos outros alunos e a tornaria notória na universidade, para desgosto de Branca. O destino fará com que as duas dividam novamente o mesmo espaço e, futuramente, as atenções de Macieira.
E a filha de Branca e João Pedro, a bela Silvia, retornou para o Brasil na ocasião da morte do pai, vinda de Paris onde estava estudando. Mal sabia ela que encontraria aqui um grande amor e mais uma desgraça: Marconi Ferraço.

Curiosidades:

• Educação, racismo, luta de classes, drogas, homossexualidade, especulação imobiliária e invasão de terras improdutivas foram temas abordados nesta trama de Aguinaldo Silva, que prometeu escrever uma novela politicamente incorreta.

• O Ministério da Justiça classificou a novela, nos três primeiros meses, como "inadequada para menores de 12 anos". Mas, a partir do dia 24/12/2007, a trama foi classificada como "inadequada para menores de 14 anos". Motivo: excesso de palavrões e cenas sensuais que envolviam a dançarina vivida por Flávia Alessandra. Assim, a Rede Globo teve que mudar a novela para iniciar após as 21 horas (antes ela estava sendo exibida às 20h55).

• Vanessa Giácomo ficou grávida na vida real e na ficção. Até sair de cena, a atriz atuou grávida, estado em que se encontrava também sua personagem, Luciana.

• O nome do jovem ator Mussunzinho apareceu na abertura durante toda a apresentação da novela, mas ele nunca chegou a aparecer na trama.

• Pela primeira vez em muitos anos, e quebrando uma tradição, o último capítulo da novela foi exibido num sábado, devido ao grande número de desfechos que precisavam ser criados.


By Carla at 8:30 AM

|

Tuesday, September 2, 2008







Paraíso Tropical foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida entre 5 de março e 28 de setembro de 2007, às 21 horas, tendo contado com 179 capítulos.
Em Portugal, foi a produção mais curta dentre as novelas das oito da Globo desde Suave Veneno, que foi apresentada com cerca de 130 capítulos. No Brasil, Suave Veneno teve 209 capítulos, então ali Paraíso Tropical foi a novela mais curta do horário desde a novela Explode Coração, que teve 155 capítulos.

Antenor Cavalcanti é um empresário poderoso, frio, filho de um ex-presidiário trambiqueiro, Belisário, de quem quer distância. Perdeu o seu único filho, Marcelo, quando este tinha dezesseis anos. Vê no filho do seu caseiro Nereu, o jovem Daniel Bastos, o possível herdeiro de suas empresas. Casado com Ana Luísa, Antenor tem uma amante, a bela Fabiana, advogada do Grupo Cavalcanti. Ele ainda se envolve com outras mulheres. Antenor decide expandir os seus negócios. Ele agora pretende também actuar no ramo de resorts. O ambicioso Olavo, resolve lutar pelo posto de herdeiro do patrão e conquistar tal posição a qualquer preço. O seu principal obstáculo está em Daniel, rapaz de excelente carácter, que, além de bonito e charmoso, é inteligente e competente. Numa viagem à Bahia, para fechar a compra de um belíssimo terreno à beira-mar para o primeiro resort do Grupo, Daniel conhece e se apaixona por Paula Viana, gerente de uma pequena e charmosa pousada. O casal planejará ser feliz em alguma pousada do Nordeste, trabalhando sem se chatear muito, mas eis que surge Olavo, disposto a qualquer coisa para não deixar que o poder no Grupo Cavalcanti caia nas mãos do filho de um empregado. E, assim, seus golpes levarão à separação de Daniel e Paula.
Paula é filha de Amélia. Esta comanda um "bordel" no resort baiano, onde trabalham várias 'meninas', como Bebel. Com um certo desvio de carácter, mas sempre exuberante, ela se diz com muita "catiguria". Levada para o calçadão de Copacabana pelo "cafetão" Jáder, Bebel conhecerá o homem de sua vida: Olavo, e, juntos, os dois serão capazes de qualquer coisa.
Até as vésperas da morte de Amélia, Paula acreditava ser sua filha, porém descobre que tem outra filiação. Já separada de Daniel, Paula parte para o Rio de Janeiro em busca de suas raízes, mais precisamente de Isidoro, o avô que desconhecia ter. Ela ainda não sabe, mas tem uma irmã gêmea idêntica; e uma não sabe da existência da outra. Antes de reencontrar sua amada, Daniel vai se deparar com Taís Grimaldi, idêntica a Paula. Carreirista e tão ambiciosa quanto Olavo, Taís vive na periferia da sociedade carioca, mendigando convites e notinhas com seu nome em colunas sociais e aplicando golpes. E será ela o principal algoz da própria irmã.
Já os moradores de Copacabana estão, de alguma forma, ligados à rede hoteleira de Antenor. Entre eles, o quase quarentão Cássio, um tipo bem carioca, sempre de bem com a vida, mas que nunca quis um relacionamento sério com Lúcia, com quem teve um filho no passado que ele nem conhecia, Mateus. Lúcia é filha do jornalista Clemente e da professora Hermínia, seus maiores conselheiros. Sua personalidade forte e determinada, vai conquistar o frio Antenor, que se apaixonará de verdade por ela.
Outra ilustre moradora de Copacabana é Marion Novaes, mãe de Olavo e Ivan, um bad-boy desajustado. Promoter fútil, cínica, divertida, chique e de nariz empinado, ambiciona fazer parte do glamouroso mundo da alta sociedade carioca. Para chegar lá, encontrou um atalho: produz eventos nos melhores hotéis da cidade. Marion procura as amizades necessárias para que as portas se abram. Bajula do jeito que pode as mulheres ricas e famosas, como a frágil Ana Luísa.
O Edifício Copamar agita o bairro. É lá que mora a família de Heitor Schneider. Sua mulher, a frívola Neli, é doida para trocar o Copamar por um apartamento num endereço mais nobre, num bairro como o Leblon, por exemplo. Despreza Umberto, namorado de sua filha mais velha, Joana, porque é garçom, mas investe pesado no romance da mais nova, Camila, com Fred, um jovem executivo paulistano que veio trabalhar no Grupo Cavalcanti, mais precisamente, no lugar de Heitor.
Mas o que agita o Copamar são as homéricas brigas entre Virgínia Batista e Iracema Brandão, a síndica moralista do prédio, que ela muito se orgulha de ter "posto nos eixos". Com seu espírito de liderança e valores bastante convencionais, Iracema valorizou o edifício, outrora parcialmente mal freqüentado. Virgínia é madrasta de Antenor, e apesar de já ter passado dos 60, tem o corpo em plena forma, sendo invejada por muitas mulheres da sociedade. Ninguém sabe porque se odeiam. As duas vão bater de frente a partir do momento em que Virgínia for morar no prédio.

Desempenho:
• Na primeira semana de exibição, a novela teve uma média de 36 pontos, e no dia 10 de março de 2007, alcançou seu pior desempenho, com somente 30 pontos. No dia 16, alcançou 31 pontos, audiência inferior à da novela das seis, O Profeta, que no mesmo dia tinha dado 33.

• Tais números fizeram com que a Globo iniciasse muito antes do previsto uma pesquisa entre as donas-de-casa para avaliar a telenovela[1].

• O turismo sexual seria um dos assuntos principais da novela, mas aos poucos o tema sumiu da história, pois não agradava aos telespectadores.

• A partir de meados de maio, a trama passou dos 45 pontos, chegando a 49 pontos. Nos últimos 5 meses, a novela vinha fechando semanalmente acima dos 45 pontos de média,chegando a 53 de média e 59 de pico, com o ataque de Bebel (Camila Pitanga) e Betina (Deborah Secco) a Olavo (Wagner Moura).

• O capítulo em que Taís rouba o lugar da irmã, Paula, rendeu 49 pontos no Ibope, e no momento da troca, a novela chegou aos 58 pontos de pico.

• O capítulo exibido no dia 1 de agosto de 2007, em que Daniel (Fábio Assunção) vai até à clínica e reencontra Paula, conseguiu atingir um Ibope muito bom. Cravou 50 pontos de média e picos de 55.

• O país parou diante da TV para assistir o último capítulo da novela. Segundo dados consolidados do Ibope, a trama alcançou 56 pontos de média e pico de 63 pontos, com 80% de share, superando a audiência da antecessora, Páginas da Vida, que teve apenas 53 pontos de média. O clímax do capítulo foi a revelação dos crimes do vilão, Olavo.

• Os autores da novela, Gilberto Braga e Ricardo Linhares, confessaram que cometeram erros no começo da trama, pois abusaram das cenas de sexo e violência, afugentando os telespectadores. Eles disseram também que erraram em só colocar Lúcia, a personagem de Glória Pires por volta do capítulo 18, pois ela passaria uma imagem segura para o público. A aparição da gêmea má só por volta do capítulo 30 também foi um erro, dizem os autores. Eles revelaram esses detalhes em várias entrevistas, inclusivamente para o site da Rede Globo.

Curiosidades:

• A classificação da novela era para maiores de 14 anos. Sua sucessora, Duas Caras, também é para maiores de 14 anos.
• Teve os títulos provisórios de "Folhetim" e "Copacabana".
• A atriz Cláudia Abreu iria interpretar as gêmeas Liz e Liza, mas, devido ao fato de ter ficado grávida pouco após o convite, teve de abdicar do papel. Várias atrizes foram cotadas para substituí-la, entre elas Camila Morgado[1], mas o papel acabou ficando com Alessandra Negrini.
• Com a escolha da atriz, as personagens tiveram seus nomes mudados para Paula e Taís. Antes de levar o nome de Alessandra a Mário Lúcio Vaz, diretor artístico da Globo, a equipe primeiro ouviu a opinião de Fábio Assunção, que contracenaria com ela. Fábio prontamente aprovou a escolha.
• Os maiores destaques da novela foram para Olavo (Wagner Moura} e Bebel {Camila Pitanga}, o casal de vilões deram o tom de humor a Paraíso Tropical, o publico se apegou tanto ao casal que pediram á Gilberto Braga por e-mails para que Bebel se desse bem no final.
• O personagem Ivan foi feito exclusiamente para Bruno Gagliasso, que expressou interesse em participar da novela, e pediu para Gilberto Braga e Ricardo Linhares.


By Carla at 4:07 PM

|